Reforma na Unidade de Assistência Social da Estrutural – Agência Brasília

0


Foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quarta-feira (22) portaria conjunta entre as Secretarias de Desenvolvimento Social (Sedes) e a Secretaria do Trabalho (Setrab) para a chamada descentralização da execução de crédito (procedimento por meio do qual um órgão ou entidade transfere a outro a possibilidade de utilização dos créditos orçamentários) no valor de R$ 460.718,00 destinados à reforma do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Estrutural.

A liberação dos recursos por meio da descentralização é necessária porque o espaço onde está instalada a unidade socioassistencial fica no Edifício Centro de Cultura, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (Scia), Área Especial nº 20, Setor Central – Cidade Estrutural. O local está cedido para Setrab e passou por reforma recente para receber também uma Agência do Trabalhador.

Mesmo com a reforma, o Creas Estrutural manteve os atendimentos normalmente | Foto: Divulgação/Sedes

Mesmo com a reforma, o Creas Estrutural manteve os atendimentos normalmente. De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, essa verba foi destinada à reforma para manutenção do Creas Estrutural e de parte do espaço comum que será utilizado pelas duas secretarias.

“O Creas passou por uma reforma importante para receber melhor as famílias em vulnerabilidade social atendidas na unidade e oferecer mais qualidade de vida aos servidores que trabalham no local. Essa obra viabilizou a manutenção do prédio do Creas, acabando com infiltração, trocando iluminação, entre outros reparos”, explica.

“A modernização do espaço comum, como o auditório, vai beneficiar a todos e pode ser utilizado pelas duas secretarias”, diz a secretária.

“Essa iniciativa se soma às várias outras, como a inauguração de dois novos Centros de Referencia em Assistência Social (Cras) no Sol Nascente e no Recanto das Emas. E mostra o compromisso da Secretaria em ampliar e qualificar o atendimento à população do Distrito Federal”, completa Mayara Rocha.

Segundo a secretária de Desenvolvimento Social, a parceria entre as duas secretarias modernizou todo o espaço para ampliar o atendimento às pessoas que mais precisam. “O GDF trabalha em conjunto para fortalecer a rede de proteção social. É a intersetorialidade que vai permitir as famílias em risco social terem um atendimento digno e que atenda todas às suas necessidades. Tanto o Creas quanto a Agência do Trabalhador são unidades fundamentais para garantir autonomia a essa população”, reforça a gestora.

“Várias dessas propostas não teriam uma execução rápida se não tivéssemos condições administrativas de execução. Somos um só governo, alinhado. A pasta do Trabalho é transversal e nosso objetivo é integrar todos, para que tenhamos maior produtividade. A determinação do governo é ter efeitos reais, que sejam sentidos pela população”, destaca o secretário do Trabalho, Thales Mendes.

Creas

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social é uma unidade pública da política de assistência social que atende as pessoas e famílias que estão vivendo situações de violência ou violação de direitos. Na unidade, os servidores recepcionam, acolhem, fortalecem vínculos familiares e comunitários, disponibilizam informações sobre direitos e viabilizam acesso a outros serviços, benefícios e programas. O objetivo é auxiliar as pessoas a superar as violências sofridas ou a diminuir os danos causados pelo trauma.

O Distrito Federal tem, atualmente, 11 Creas organizados por territórios, além do Creas Diversidade voltado especificamente para atender situações de discriminação, por orientação sexual, identidade de gênero, raça, etnia ou religiosidade.

“O DF possui uma rede estruturada de proteção social, atuando em todas as Regiões Administrativas, nas áreas onde a população mais precisa da política de assistência social.  Atualmente, temos 84 unidades socioassistenciais que prestam o atendimento direto aos cidadãos, sendo 29 Cras, 12 Creas, 2 Centros Pops, voltado ao atendimento da população em situação de rua, 18 Centros de Convivência, 1 Unidade de Proteção Social 24h, 1 Central Regulamentação de Vagas, 1 Unidade de Serviço Funerário, 14 Restaurantes Comunitários e 6 Unidades de Acolhimento”, ressalta Mayara Rocha.

* Com informações da Sedes



Source link