Captação múltipla de órgãos dá nova vida a 4 pessoas

0


Em meio à campanha de conscientização Setembro Verde, que incentiva a doação de órgãos, o Hospital Estadual de Santa Helena de Goiás Dr. Albanir Faleiros Machado (Herso) realizou, no sábado (25/9), uma captação múltipla de órgãos que beneficiou quatro pessoas. Foram captados os rins, destinados a pacientes de Goiás; coração e fígado, que foram transportados para o Distrito Federal, com o apoio de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB).

O procedimento durou pouco mais de três horas e meia e teve o envolvimento de 14 profissionais do Herso, da Central Estadual de Transplantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) e do Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), todas unidades do Governo de Goiás parceiras na ação. O procedimento foi realizado após a confirmação de morte encefálica de um paciente de 21 anos e consentimento dos familiares.

O presidente da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIHDOTT) do Herso, Rafael Pereira, explica que a unidade de saúde do Governo de Goiás no sudoeste do Estado realiza um trabalho de acolhimento, acompanhamento e orientação aos familiares do paciente cuja morte encefálica é constatada.

“Sabemos que essa família está passando por um momento difícil e vivenciando o luto pela perda do ente querido. Buscamos concretizar a doação, que é um ato de amor ao próximo, mas de modo bastante respeitoso e com o menor sofrimento possível. É também um momento de muita emoção ver famílias que, mesmo diante da perda, conseguem enxergar a necessidade do outro”, destacou.

Rigoroso protocolo

O Herso é uma das unidades da rede pública estadual aptas a realizar a captação de órgãos em Goiás. As doações só são realizadas com anuência da família e após a observância de um rigoroso protocolo médico para confirmação de morte encefálica do paciente.

No dia 27 de setembro, o Brasil celebra o Dia Nacional da Doação de Órgãos, que busca conscientizar a população sobre a importância da iniciativa, além de incentivar que as pessoas conversem com seus familiares sobre o assunto, já que a recusa pelos parentes ainda é a principal causa de negativa para realização do procedimento.

No Brasil, segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), mais de 43 mil pessoas aguardavam a doação de um órgão na fila de espera, em dezembro de 2020, das quais 916 em Goiás. A maioria dos pacientes necessita de transplante renal (26.862), seguidos de transplante de córneas (14.984) e de fígado (1.031).





Source link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here