Com aumento nos casos de arboviroses, agentes de combate a endemias voltam a visitar domicílios; veja boletim

0


Suzana Mont’Alverne – Ascom Sesa Texto
Fabio dos Santos Arte gráfica

Com o aumento de casos relacionados a arboviroses e a diminuição no índice de transmissão da Covid-19 no Ceará, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) restabeleceram a visita domiciliar dos agentes de endemias. A Sesa registra elevação no número de notificações em todo o Estado, principalmente nas regiões Norte e Litoral Leste.

De acordo com boletim mais recente da pasta, há circulação de dengue tipos 1 e 2 no Estado, com disseminação predominante deste último sorotipo. A dengue tipo 2 oferece maior risco e ocorrência de casos graves e óbitos, principalmente em crianças. Até a semana epidemiológica 38 (de 19 a 25 de setembro), foram notificados 60.469 casos de dengue no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Destes, 27.988 (46,3%) foram confirmados.

Veja boletim na íntegra

O documento traz, ainda, dados das Superintendências Regionais. Foi observado aumento de casos confirmados de dengue nas instâncias de Fortaleza, Litoral Leste/Jaguaribe e Norte. Nas Superintendências do Cariri e do Sertão Central, houve redução no número de casos neste ano em relação ao ano anterior.

Casos graves de dengue

Houve confirmação de 25 casos graves de dengue, com dez óbitos – cinco pessoas do gênero masculino e cinco do gênero feminino, com idades entre 10 e 91 anos. Os óbitos ocorreram em Fortaleza (3), Iracema (1), Maracanaú (1), Porteira (1), Sobral (2) e Viçosa do Ceará (2).

Zika e chikungunya

Até sábado (25), foram notificados 4.231 casos suspeitos de chikungunya em 71,7% (132/184) dos municípios do Estado, com 16,5% (698/4.231) confirmados.

Já as notificações de zika somaram 1.474 casos suspeitos em 38,0% (70/184) dos municípios cearenses. Do total, 10,7% (158/1.474) foram confirmados, sendo nove casos em gestantes. Não houve registro de óbito pelas duas doenças.

Recomendações para visitas domiciliares
A Sesa informa que o retorno das atividades dos agentes de endemias seguirá as normas sanitárias contra a Covid-19 exigidas em decreto estadual. Para realização das visitas domiciliares, além das indicações específicas sobre o uso de equipamento de proteção individual (EPI), os agentes deverão estar imunizados há pelo menos 14 dias e fazer uso de máscara facial.

Nota Informativa – Recomendações a agentes de endemias diante da situação epidemiológica com a Covid-19

A pasta orienta que os agentes higienizem as mãos com água e sabão por 49 a 60 segundos. Caso haja indisponibilidade dos produtos, os profissionais devem fazer uso de álcool em gel. O distanciamento mínimo de um metro dos moradores também é recomendado.





Source link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here