Crer realiza atividades de conscientização sobre doação de órgãos e tecidos

0


Em alusão ao Setembro Verde, mês de sensibilização da doação de órgãos e tecidos, o Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo – Crer realizou ações voltadas à conscientização e esclarecimentos do tema junto aos profissionais e usuários da unidade do Governo de Goiás. Dados da Organizações de Procura de Órgãos do Estado de Goiás (OPOs), m Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) do Estado de Goiás

O ponto alto das ações ocorreu no Dia Nacional da Doação de Órgãos, celebrado na segunda-feira (27/9), quando a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do Crer, em parceria com a Central de Transplantes do Estado de Goiás, realizou blitz nos postos de internação, centro cirúrgico e Unidade de Terapia Intensiva.

“Percorremos todos os setores assistenciais do hospital promovendo ‘quiz’ e dinâmicas de esclarecimentos de mitos e verdades sobre o assunto. Sabemos que o desconhecimento, inclusive por parte dos profissionais da saúde, ainda é a principal causa de negativa para a doação de órgãos e tecidos no Brasil. É preciso falar sobre esse assunto, é preciso conscientizar sobre a importância da doação para salvar vidas”, explicou a assistente social e integrante da CIHDOTT do Crer, Ana Carolina de Paula Rodrigues.

Ainda na programação, no dia 14 de setembro a Supervisão de Ensino e Pesquisa do Crer promoveu uma palestra sobre a importância da doação de órgãos, com a participação das Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) do Estado de Goiás.

“Diante do cenário de desconhecimento e mitos a respeito da doação de órgãos e tecidos, os profissionais da saúde atuam como educadores. Ao replicarem conhecimento e informação, conseguimos desmistificar o tema junto à sociedade em geral”, ressaltou a coordenadora das OPOs, Nathália Carolyne Correia Mendonça.

Ainda na palestra, a terapeuta ocupacional do Crer, Nádia Cristina da Silva, contou sua história de luta e vida, graças a uma doação de fígado. “Fui salva por uma doação de órgãos. Recebi uma segunda oportunidade na vida, graças a uma família que autorizou a doação dos órgãos do seu ente amado. A doação de órgãos salva vidas todos os dias, e nós precisamos falar sobre isso”, destacou.

Fonte: Secretaria da Saúde (SES/Agir)





Source link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here