More
    InicioECONOMIAIguatemi tem prejuízo de R$ 16,4 mi no 1º trimestre

    Iguatemi tem prejuízo de R$ 16,4 mi no 1º trimestre


    A rede de shoppings Iguatemi teve prejuízo líquido de R$ 16,4 milhões no primeiro trimestre de 2022, o que representa uma reversão frente ao lucro de R$ 39,8 milhões no mesmo período de 2021.

    O impacto foi causado pela queda nas ações da Infracommerce, empresa de serviços para o comércio eletrônico na qual a Iguatemi tem uma participação de 11,2%. Neste ano, as ações dessa empresa recuaram cerca de 65%.

    O investimento da Iguatemi é feito via fundo, com marcação a mercado periodicamente. O impacto negativo não teve efeito no caixa da operadora de shoppings. Excluindo a Infracommerce, a Iguatemi teria reportado lucro líquido de R$ 40,9 milhões.

    Os outros indicadores apresentaram melhoras, principalmente pela volta do movimento nos shoppings, com recuperação da vendas dos lojistas e da cobrança dos aluguéis dos pontos comerciais pela Iguatemi.

    O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 147,8 milhões, aumento de 53,7% na mesma base de comparação anual. A margem Ebitda subiu 8,2 pontos porcentuais, para 64,7%.

    O FFO (lucro líquido excluindo depreciação, amortização e efeitos não caixa) foi de R$ 22,3 milhões, queda de 71%. Já a receita líquida foi a R$ 228,3 milhões, crescimento de 34,3%.

    A dívida bruta chegou ao fim do primeiro trimestre de 2022 em R$ 3,250 bilhões, 1,5% abaixo do quarto trimestre de 2021. A companhia tinha em caixa R$ 1,752 bilhão, queda de 4,8% nesse mesmo período. Com isso, a dívida líquida ficou em R$ 1,453 bilhão, com alavancagem (relação entre dívida e Ebitda) de 2,43 vezes, ante 2,57 vezes no período imediatamente anterior.

    Operacional

    A Iguatemi registrou melhora nas vendas dos shoppings e, com isso, deu sequência à política de retirada de descontos nos aluguéis dos lojistas.

    As vendas totais nos shoppings atingiram R$ 3,3 bilhões no primeiro trimestre de 2022, crescimento de 77,2% em relação ao mesmo intervalo de 2021 (quando ainda havia restrições ao funcionamento do comércio) e avanço de 14,8% perante o primeiro trimestre de 2019 (antes da chegada da pandemia).

    A recuperação das vendas na rede Iguatemi superou a concorrentes Multiplan (MULT3) – 13,5% – e BrMalls (BRML3) – 5%. A Aliansce ainda não divulgou seus dados operacionais.

    A Iguatemi também reportou o dado parcial de vendas nos shoppings em abril: crescimento de 31% em relação ao mesmo mês de 2019.

    As vendas nas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) cresceram 14,6% no primeiro trimestre de 2022 em relação ao mesmo período de 2019. O destaque foi o segmento de calçados e artigos de couro, com alta de 31,6% nesse intervalo.

    O aluguel nas mesmas lojas (SSR) da Iguatemi aumentou 48,7% em relação ao mesmo período de 2019. O resultado foi melhor que o da BrMalls (37,5%), e inferior ao da Multiplan (54,3%).

    A ocupação dos shoppings da Iguatemi foi a 92,7%. É maior que um ano antes, quando estava em 90,7%. Mas abaixo no nível de 93,7% pré-pandemia (primeiro trimestre de 2019).

    A inadimplência dos lojistas subiu para 5,3%. No pré-pandemia, estava em 2,9%.

    Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.



    Source link

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    NOTÍCIAS EM DIA

    spot_img