More
    InicioTECNOLOGIAGerentes da Amazon são demitidos após liderarem movimento sindical

    Gerentes da Amazon são demitidos após liderarem movimento sindical


    A Amazon demitiu pelo menos seis gerentes do armazém de Staten Island que estavam liderando o movimento sindical na unidade. Após a vitória nas urnas, muitos deles viraram verdadeiras celebridades, inclusive recebendo o apoio de vários políticos tanto de Nova York quanto de outras cidades. Os ex-colaboradores estavam à frente do Sindicato dos Trabalhadores da Amazon, o primeiro formado na história da gigante da tecnologia.    

    Veteranos da empresa 

    Segundo os perfis dos demitidos no LinkedIn, alguns eram veteranos da Amazon e tinham mais de seis anos de casa. Eles lutavam por melhores condições de trabalho, principalmente em relação ao cumprimento de protocolos de saúde e segurança, além de reajustes salariais. 

    publicidade

    Os líderes sindicais também tinham na pauta de negociação reivindicações para cobrar o pagamento de horas extras e contrárias às constantes pressões que os trabalhadores sofrem para atingirem as metas da empresa.  

    Segundo a porta-voz da Amazon, Kelly Nantel, as demissões são resultado de um projeto de mudança na gestão e de contínua busca por melhorias. 

    “Parte de nossa cultura na Amazon é melhorar continuamente, e acreditamos que é importante reservar um tempo para analisar se estamos fazendo o melhor que podemos para nossa equipe”, disse. 

    Leia mais:

    Eleição em xeque

    Em suas cartas de demissões, os gerentes foram informados de que a medida integrava uma mudança organizacional.   

    A eleição ocorrida no armazém está sendo contestada pela Amazon, que alega que foram utilizadas táticas não convencionais pelo Sindicato dos Trabalhadores, principalmente para pressionar os funcionários a participar do processo. 

    amazon, funcionário etiquetando produto
    Trabalhadores da Amazon reclamam de jornadas exaustivas e ausência de cumprimento dos protocolos de saúde e segurança, empresa diz que investe nos setores e que paga mais do que o salário mínimo dos EUA. Imagem: Shutterstock

    Em nota, a empresa se defende ao informar que investiu R$ 300 milhões em projetos de segurança ao longo de 2021 e que oferece pagamento acima do salário mínimo, com benefícios. Entre os citados, estão a assistência médica para trabalhadores em período integral.

    Lei brasileira garante estabilidade para líderes sindicais  

    Ao contrário dos EUA, no Brasil os líderes sindicais não podem ser demitidos caso sejam eleitos, mesmo como suplentes. A Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) assegura essa vantagem para sete eleitos e sete suplentes em cada empresa. 

    Todos têm estabilidade no emprego com até um ano após o final do mandato, exceto se cometerem falta grave nos termos da lei. Caso a empresa demita o trabalhador estável sem a observância do procedimento de inquérito para apuração de falta grave, a dispensa é considerada inválida.

    Via: The New York Times

    Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!


    Assine Amazon Prime para assistir a filmes e séries populares, incluindo Amazon Originals premiados.
    O Amazon Prime também inclui a entrega GRÁTIS e rápida de milhares de itens elegíveis,
    mais de 2 milhões de músicas sem anúncios e muito mais. Clique aqui e comece seu teste GRÁTIS por 30 dias!





    Source link

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    NOTÍCIAS EM DIA

    spot_img